Arquivo mensal: outubro 2010

Qualquer Coincidência é Mera Realidade

Padrão

Reino de titãs; nefilins; golfinhos mágicos; reptilianos; sereias encantadas; sílfides dançarinas; armadilhas genéticas e guerra nas estrelas.

Cada vez me convenço mais e mais que, enquanto os adultos brincam de ser sérios, mergulhados nas ficções do mundo moderno, as crianças manuseiam livremente as verdades da criação.

Não há nada mais real do que a ilusão, e nada mais ilusório do que a realidade.

A consciência é a nossa grande mãe – o poder feminino da criação. Ela não pode ser aprisionada, nem mesmo nos limites dualistas de um cérebro pouco explorado que se limita a analisar o horizonte sob a ótica de valores opostos. Que se limita a sair de si, a conhecer, porém sem se reconhecer.

Ela quer sair, ela é livre, e ela se dilata para receber o que vem, e ser fecundada.

Para sair, no entanto, é preciso voltar-se para dentro, mais do que nunca. O movimento é centrípeto.