Quem tudo diz…

Padrão

Infinito mar luar…
Palavras como essas parecem mais nada dizer
pois agora todos falam sem alma.
Por isso
apenas sinta
a imensidão da poesia
no meu silêncio que respira.
A melodia e o sentimento
nas entrelinhas.
A cada intervalo
o meu calor.
O brio e o fulgor
neste ponto que nada detém:
nem do leitor o amor
nem do poeta a dor
da ausência de poesia
neste pobre mundo de verborragia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s